Por melhorias, empreendedores adotam sistemas de grandes empresas

Grandes corporações, que precisam criar padrões adequados a diferentes unidades industriais, acabam desenvolvendo métodos globais capazes de aumentar a eficiência nas linhas de produção. Essas soluções podem ajudar pequenas empresas a melhorar seus processos.

“Testamos diversas alternativas até chegarmos ao Lean [modelo de gestão inspirado em práticas e resultados do Sistema Toyota], e conseguimos melhorar nossos resultados”, diz Expedito Eloel Arena, fundador da rede de franquias Casa do Construtor, criada em 1995.

A implementação do método japonês é feita individualmente pelos franqueados.

“Logística, vendas e manutenção são três áreas fundamentais, só que elas não se conversavam. Com o Lean, conseguimos promover interações, otimizar nossos serviços e comparar o desempenho em diferentes unidades”, afirma Arena.

Algumas soluções estão disponíveis na internet, em sites de instituições ligadas ao empreendedorismo ou mesmo nos portais das empresas que criaram o método. Além disso, há no mercado palestras e cursos que ensinam como adaptar processos e aumentar a eficiência.

Contudo, as fórmulas são apenas parte do caminho e podem exigir investimento. A rede Outer Shoes, do setor de de calçados, gasta cerca de R$ 5.000 por loja para a implementação de um sistema de controle inspirada na telemetria da Fórmula 1.

“Na F-1, os problemas com o veículo são resolvidos durante a corrida. Se deixarem para depois, o piloto jamais subirá no pódio”, diz Filipe Lamim, diretor de expansão da Outer Shoes.

“Fazíamos reuniões mensais em busca de soluções, mas já era tarde demais, a venda perdida não volta. Agora, identificamos os problemas e tentamos solucioná-los imediatamente”, explica o executivo.

Colocado em prática há cerca de um ano, o sistema de telemetria é um compilado de vários aplicativos e softwares disponíveis no mercado. As ferramentas monitoram as lojas e as vendas, dando um panorama de tudo em tempo real.

Segundo Lamim, este ano a empresa apresenta expansão de 40%. “O incremento no fluxo de clientes foi de apenas 10%, o restante de deve à mudança na gestão”.

“A tendência é que os custos para importar práticas de grandes corporações caiam cada vez mais, já que mais empresas passarão a usar esses novos sistemas e a venda ou compartilhamento em escala leva à redução dos custos”, diz Maria Fernanda Junqueira Victaliano Ferreira, consultora do Sebrae-SP.

A empresa de tecnologia Reamp optou por adotar os métodos Scrum e Kanban, ambos baseados em agilidade e interatividade.

“Há diferentes grupos de funcionários, e cada um possui uma liderança própria. Com foco nos feedbacks, eles fazem reuniões diárias de cinco minutos para repassarem o andamento dos projetos”, explica Emmanuel Santana, executivo da Reamp.

Dessa forma, conta ele, as decisões são tomadas de forma mais rápida, descentralizadas. “Todos têm voz ativa na companhia, evitamos que problemas sejam mascarados pela hierarquização”, destaca Santana.

CASO A CASO

Para a consultora do Sebrae-SP, é importante que o empreendedor adapte o programa à sua realidade. “Aplicar um método que está dando certo em uma empresa não necessariamente dará em outra”, afirma Ferreira.

E só a adoção de uma lista de regras não é suficiente. “Métodos contribuem para a produtividade, mas é necessário que haja mudança na cultura empresarial”, diz Guto Ferreira, da ABDI (Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial).

*

CONHEÇA ALGUNS DOS MÉTODOS

LEAN
Baseado no Sistema Toyota de Produção, o método consiste em reduzir desperdícios. Em alguns casos, a simples mudança de posição dentro de uma linha de montagem já garante ganhos.

KANBAN
Por meio de um quadro e cartões coloridos (“kanban” é cartão em japonês), a empresa consegue sinalizar fluxos de produção, otimizar estoque e programar pausas para manutenção.

SCRUM
Sistema que prevê agilidade no desenvolvimento de produtos. Os projetos são divididos em ciclos, e as equipes fazem breves reuniões regularmente para acompanhar o andamento de cada atividade.

TELEMETRIA DE F-1
Controle dos processos de produção e vendas por meio de reuniões diárias e softwares que medem o desempenho e permitem resolver problemas sem perda de tempo.

*

SITES QUE AJUDAM A ENTENDER OS MODELOS

Lean Institute Brasil
Endeavor
Lean TI

0 respostas

Deixe uma resposta

Inicie um fórum de discussão!
Sinta-se a vontade para contribuir! Não esqueça, deixe-nos seu Nome: Email: e DDD+Telefone:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *